Vídeos do debate com Marina Silva sobre democratização da comunicação

Por João Telésforo Medeiros Filho

Já postei aqui um relato da parte do debate que fizemos com Marina Silva na UnB em que a questionei, em nome do grupo, sobre o tema da democratização da comunicação, que julgamos central na construção de um país mais democrático, livre, plural, no qual o poder esteja distribuido de modo menos concentrado e mais igualitário. Trago agora os vídeos para vocês conferirem por conta própria a discussão:

Lembrando que no canal do B&D no youtube vocês podem ver também, entre outros, as demais partes do debate com a Marina, e também a íntegra da nossa discussão com o Plínio.

 

Anúncios

Presidenciáveis – B&D traz Marina Silva à UnB

Edemilson Paraná

O grupo político Brasil e Desenvolvimento promoverá debate roda-viva com Marina Silva, candidata do PV à Presidência da República em 2010.

Será no dia 17 de junho, quinta-feira, às 17h30 no auditório Dois Candangos – UnB (Universidade de Brasília).

Este é o segundo de uma série de debates que o grupo está promovendo com os candidatos à Presidência da República. O último da série “Presidenciáveis na UnB – discutindo um projeto de desenvolvimento para o Brasil” foi com Plínio de Arruda Sampaio, candidato do PSOL. Aqui, posts e vídeos do debate.

Agora é vez de Marina Silva.

O evento será transmitido ao vivo pela UnBTV (aqui, para acompanhar via internet), por rádio-web e terá cobertura no twitter (clique para seguir).

Abaixo, vídeo e cartaz de divulgação.

Mais informações: (61) 8109-4344




A relação Política – Universidade

Por Gustavo Capela

Ontem, como já amplamente noticiado neste blog, o pré-candidato à Presidência da República pelo PSOL, Plínio de Arruda Sampaio, foi à Universidade de Brasília participar de um evento organizado pelo B&D. O intuito é levar todos os pré-candidatos à universidade, para que eles possam discutir seus projetos, expor suas idéias e, claro, tentar convencer os ouvintes que suas idéias são melhores, mais plausíveis, concretas, realistas, idealistas,  ousadas, ou qualquer outro adjetivo que um eleitor ache adequado, que a dos outros candidatos.

Essa prática, de embate de idéias, em um ambiente de idéias, como deve ser a Universidade, parece ser incomum em nosso país. Como demonstrou o brilhante e sempre-vivaz Plínio de Arruda, o discurso político parece cada vez mais ter dificuldades para argüir de forma mais profunda, de esboçar projetos e discutir idéias de forma ampla e aberta com a comunidade Universitária. Não que isso ocorra pelo capacidade ou incapacidade individual do candidato. Plínio certamente é um dos melhores políticos de nossa era no que diz respeito à teoria e à prática, ambos necessárias para o âmbito de idéias no mundo político. No entanto, pouco apresentou idéias profundas e distantes do senso comum para resolver problemas. Na sua maior contribuição, referiu-se à reforma agrária com base no tamanho da terra e não na produtividade da própria. Assim, o fenômeno parece estar muito mais atrelado à percepção que o político tem de que precisa convencer pela simpatia, pela cordialidade, não  pelas idéias.

Esse viés político pode ser visto inclusive em países do “Atlântico-Norte”, onde Obama foi por diversas vezes chamado de elitista por querer discutir mais idéias do que jogar boliche para a televisão registrar. Naquele país, no entanto, parece que a idéia prevaleceu. Talvez até pela junção que o então-candidato à Presidência dos EUA conseguiu trazer entre idéias inovadoras, nova forma de fazer política e o bom e velho carisma. O primeiro negro a ser eleito presidente dos Estados Unidos não é exatamente uma pessoa que não agrega pessoas pelo seu jeito de ser. Seu sorriso, sua forma de falar, sua vibração e jeito de agir contagiaram e ainda contagiam toda uma geração naquele país. Parece que aqui, entretanto, as idéias estão cada vez mais escassas e, quando existem, não se comprometem com sua exposição profunda.

Não restam dúvidas que ambos os aspectos são importantes. De nada adianta um intelectual que não se junte às massas, que não é cordial, atencioso, carismático. Da mesma forma, não deveria bastar o contrario: um líder que sabe falar, que sabe agir, que tem facilidade para se comunicar com seu eleitorado, mas não discute, de forma ampla seus projetos e idéias.  O problema com essa segunda hipótese é justamente o de tornar as disputas para cargos majoritários uma disputa entre pessoas, não entre projetos. O tal do personalismo está estreitamente vinculado à essa necessidade da política atual de ter como representante maior um ídolo, ao invés de um norte, um princípio.

Nessas eleições, o B&D pauta idéias, não pessoas. Com isso espera que, trazendo os pré-candidatos à Presidência à UnB, essa prática seja cada vez mais comum. Ao ponto que não seja mais necessário convidarmos políticos para visitarem nossas Universidades.

Debate com Plínio na UnB: transmissão via rádio e twitter

Chegou a hora! E eis que chega a Roda-Viva do B&D com Plínio de Arruda Sampaio, pré-candidato do PSOL à Presidência da República! Amanhã (19 de maio), às 10h da manhã, no Auditório Joaquim Nabuco – FA/UnB.

O debate será transmitido ao vivo pela Ralacoco (Rádio Livre com Princípios Comunitários), por meio do projeto Dissonante, no link: http://ralacoco.dissonante.org/site/index.php

Faremos também a transmissão da discussão por meio do twitter do B&D: http://twitter.com/Bras_e_Des

Você poderá participar à distância, inclusive, mandando perguntas por meio do twitter!

Para aquecer os tambores para o debate, postamos novamente o vídeo de divulgação da atividade:

Aproveitamos para lembrar que nosso propósito não é fazer palanque para um partido ou candidato, mas debater  ideias sobre o projeto de desenvolvimento que ele apresenta e representa para o Brasil. Nesse sentido, anunciaremos em breve a vinda de outros presidenciáveis para debates na UnB! Aguarde!