Marchamos, marchemos e marcharemos.

As marchas tratam de uma intrépida construção. O que pode parecer, à primeira vista, aos olhos de desapegados, alheios e quejandos, um bando de gente gritando, sacodindo cartazes ou fazendo festa. Uma das críticas que oportuna, senão dolorosamente bate na ponta do nariz das esquerdas out-of-closet em tempos de identidades efêmeras, plásticas e líquidas. Dizem as línguas maledicentes, esquerda festiva.

Imagem

Não. Não é mera festa. E se for, que se festeje uma coisa: a mudança. Nem só de sobriedade e luta política vivem as esquerdas. É preciso, afinal, brindar e festejar as mudanças que representem efetivas conquistas.

Não estamos em tempos nos quais a ordem imperativa demolia exigências sociais, coletivas, organizadas. Nos quais liberdade resumia-se a estar conforme a normalidade. Nos quais o silêncio, a indiferença ou o medo encerravam-se em casa e fora dela, e tudo o que desafiasse essa atmosfera era colocado em porões escuros, expulso de sua terra, ou desaparecido. Continuar lendo

Anúncios

Marcha das Vadias – o B&D marcha juntinho

Amanhã, dia 26 de maio de 2012 é dia de Marcha! É dia de dizer ao mundo o que pensamos e o que queremos. Nossas indignações voarão pelos céus da liberdade. Nossa dança e nosso canto serão nossos corpos e nossas vontades. Que seja um momento de inquietação, amor e libertação!

Marcha das Vadias/DF 2012, 13h, concentração em frente ao CONIC.

Como assim ela sabe o que é impedimento, não tolera violência contra a mulher, quer falar de política e ainda ficar com outra mulher?! Ai, que vadia!

Por que o B&D apoia a Marcha das Vadias?

A Marcha das Vadias é uma mobilização contra o hábito recorrente em nossa sociedade de culpar as mulheres pela violência cometida contra elas. A violência doméstica e a violência sexual são crimes para os quais não existe justificativa. Nenhuma mulher gosta de apanhar e nenhuma mulher “pede” o próprio estupro – nem quando anda só na rua, nem quando usa saia curta, nem quando são vadias. Todas as mulheres merecem uma vida sem violência, sem medo e sem culpa.

O B&D sabe que a luta das mulheres é a luta de toda a sociedade. O empoderamento social, a inclusão e a cidadania das mulheres requer o fim da violência contra as mulheres. A tomada de consciência e a mudança de atitude é trabalho para todos. Essa também é a nossa revolução. Por isso, o B&D marcha com as vadias, para imaginar um novo senso comum: a igualdade entre mulheres e homens. Se ser livre é ser vadia, somos todos vadias!