Participe da posse de Tony Panetone como governador do DF!!!

Por João Telésforo Medeiros Filho
Rogério Rosso foi “eleito” governador-tampão do DF com 13 votos, 8 dos quais de deputados diretamente envolvidos no mensalão do Arruda. É um sujeito que foi secretário do Roriz e presidente da CODEPLAN durante governo Arruda (mesmo cargo que Durval Barbosa ocupou durante governo Roriz).

Trata-se de um golpe. Não podemos reconhecer legitimidade desse processo nem esse cidadão como governador do DF!

Por isso, o movimento Fora Arruda e Toda Máfia convoca todos e todas a participarem hoje da posse de Tony Panetone como governador do DF!!! Às 18h (daqui a pouco!!), no relógio do aniversário da cidade próximo ao Mcdonalds da torre de tv! (Afinal, mais do que 13 votos o Tony tem…)

Aproveitamos para lembrar que, como alternativa à comemoração oficial, do GDF corrupto, está rolando uma extensa e qualificada programação cultural do “Brasília, outros 50”. Ver programação aqui: http://www.brasiliaoutros50anos.com.br/

Vemo-nos daqui a pouco na posse do Tony! Chame o máximo de pessoas para irem ao ato com você! Vamos comemorar os 50 anos de Brasília mostrando que o povo brasiliense não aceita a continuação dessa máfia no poder!
PS: pra quem ainda não conhece Tony Panetone: hoje de manhã, ele chamou o Rosso para um debate, mas o governador fugiu, protegido pela polícia…
Anúncios

Eleições Indiretas, Tony e Bezerra

Por Laila Maia Galvão

Na semana passada, o deputado federal Alberto Fraga, um dos políticos “sobreviventes” do DEM do DF, se dirigiu à tribuna da Câmara para se pronunciar a respeito da eleição indireta. Em afirmação infeliz, disse que a inscrição da chapa de Tony Panetone só poderia ser coisa de estudantes da UnB, que nunca têm o que fazer, já que na maioria do tempo estão em greve.

Em uma só frase, o ilustre deputado foi capaz de ironizar o movimento de greve da UnB e rebaixar à categoria de baderneiros e irresponsáveis os estudantes que participam do movimento estudantil.

 É espantoso o fato de o deputado ter ficado “enojado” com a publicação da inscrição de Tony no Diário Oficial da CLDF. Ao mesmo tempo, as chocantes imagens de pagamento de propina veiculadas na mídia no final do ano passado não parecem ser dignas de tamanha indignação.

Mas a assessoria da chapa de Tony Panetone, que traz como vice Bezerra Dourada da Silva, informa que “todos os deputado podem ficar tranquilos, pois Tony não vai criar problemas com outros companheiros da CLDF e permitirá que todos continuem sacaneando com o dinheiro público”.

Para mais informações sobre a campanha de Tony, clique aqui.

E assim continuamos nossa saga… pela construção de uma nova política para o DF!

Hoje, a CLDF irá analisar os documentos das chapas inscritas.

Notícia do site G1:

PSDC desiste e eleições indiretas do DF terão nove candidatos

Nesta terça-feira (13), Câmara analisa documentação das chapas.
Eleições indiretas estão marcadas para 17 de abril.

No último dia antes de a Mesa Diretora da Câmara Legislativa do Distrito Federal decidir quais chapas poderão concorrer às eleições indiretas do DF, o Partido Social Democrata Cristão (PSDC) retirou a candidatura de Virgílio Macedo. Nesta terça-feira (12), a Mesa Diretora da Câmara analisa os documentos para avaliar se as nove chapas inscritas estão dentro da legalidade e poderão participar do processo eleitoral.

O PRTB fez mudanças na composição da chapa e concorrerá com Simone Nunes para governadora e Paulo Fernandes para vice. O PSL mudou somente o vice, que agora é Clodoaldo Andrade. A assessoria da Câmara informa que outros seis partidos levaram documentos, que serão analisados pela Procuradoria da Câmara.


O Distrito Federal enfrenta uma crise política desde que a Polícia Federal deflagrou, em novembro de 2009, a Operação Caixa de Pandora. A PF investiga um suposto esquema de propina no governo distrital que envolveria o primeiro escalão do Executivo local, que levou à prisão e afastamento do então governador José Roberto Arruda (sem partido, ex-DEM) por tentativa de suborno de uma testemunha do caso.

Dias depois, o vice-governador Paulo Octávio renunciou ao cargo, assumindo interinamente o então presidente da Câmara Legislativa, Wilson Lima. Durante a prisão, Arruda teve o mandato cassado pelo TRE-DF por infidelidade partidária, deixando vago o cargo de governador do DF.

Relembrando o caso da Bezerra:

Bicicletada Fora Arruda e Toda Máfia, Hoje!

Mais um evento da programação Fora Arruda e Toda Máfia… Bicicletada, a última do ano! Hoje, 18h, na Praça das Bicicletas – Museu da República.

Programação de quinta e sexta-feira:

Quinta-feira – 17/12

Mobilização contra as licitações do setor Noroeste!

9:00h – Grande licitação de lotes do Setor Noroeste na Terracap

Caminhada em Taguatinga

10:00h – Concentração da Praça do Bicalho ao BURITINGA — Caminhada com panfletagem em Taguatinga. Concentração às 10 horas na Praça do Bicalho, com saída prevista para as 10h30 seguindo pela Comercial Norte com destino ao Buritinga.

Sexta Feira 18/12

12:00h – Praça Zumbi dos Palmares no CONIC, Assembléia Popular do Fora ARRUDA e PO e tod@s @s CORRUPT@S.

Fora Arruda, Paulo Otávio e Roriz!

Participe!

 

Quem elege é quem derruba, Fora Arruda!

Por João Telésforo Medeiros Filho

Atenção, atenção! Os atores principais, presentes aqui nesta praça, solicitam aos figurantes que até agora estiveram no poder que se retirem! Delicada e naturalmente, dizemos: é a vez da voz que vota, é a vez da voz que veta! Quem elege é quem derruba, não se iluda! ” 

Sinfonia das Diretas (Sinfonia das Buzinas) – Comício das Diretas Já, Brasília, 1984

Quem nos tiraniza, abusa, arrasa, azucrina; a razão resolve, buzina, Brasília, buzina!

177 motoristas formavam a orquestra da Sinfonia das Buzinas, executada para 30 mil pessoas no grande Comício das Diretas em Brasília, no dia 1º de junho de 1984. Com música do maestro Jorge Antunes e poemas de Tetê Catalão, foi escrita para um declamador, uma orquestra de automóveis tocando buzinas, um coral, efeitos eletrônicos e instrumentos (entre os quais um naipe de panelas, daí os versos: “Um dia é do caçador, o outro é da caçarola!”). Ouça aqui versão compacta com excertos. Nos 2 primeiros minutos deste vídeo (trecho do CD da Sinfonia), o professor Antunes narra a apresentação:

Quem nos tiraniza, ARRUDA, arrasa, azucrina; a razão resolve, buzina, Brasília, buzina!

Brasília não é só o centro do poder institucional brasileiro. Não é lugar apenas de políticos e empresários corruptos. Os 50 anos que a cidade completará no dia 21 de abril de 2010 contemplam também uma história de resistência e criação, de um povo que se atreve a lutar pela democracia usando como armas a organização popular pacífica, inventiva e irreverente. A ditadura acabou, mas a luta democrática jamais terá fim: democracia é por definição imperfeita e inacabada, e só existe onde há gente disposta a construi-la e conquistá-la. O povo do DF assumiu essa tarefa no passado, e a assume hoje: fora Arruda, Paulo Otávio e toda a máfia!

Sempre haverá luz que se atreva às trevas!

Sempre haverá quem se atreva à travessia, ao atroz, mesmo por um triz!

Sempre haverá quem se atreva a ser feliz!

Somos os fios da manhã de um novo amanhã!

“Amanhã é a primeira manhã de um novo amanhã!”, dizia a Sinfonia das Diretas. E o Fora Arruda afirma: “Amanhã será maior!”.

O povo unido jamais será vencido. Arruda cairá. Buzina, Brasília!

Poema de Jorge Antunes, recentemente publicado:

“Soneto das buzinas

Brasília tem sons de quietude,
a gente em silêncio se afina.
A paz é uma nossa virtude:
vivemos aqui sem buzina.

Porém, se nos falta a justiça,
se o mal do tirano domina,
mudanças verás na premissa:
a gente recorre a buzina.

Se nossa esperança é pó,
a luz-liberdade ilumina
o grito, a voz, o gogó.

Mudamos então a rotina,
tal como um clamor Jericó:
Buzina! Brasília, buzina!”

hamada também de Sinfonia das Buzinas, esta peça foi composta por Jorge Antunes em 1984, acompanhando o movimento político que lhe dá o nome. Foi escrita para declamador, coro misto, saxofone soprano, guitarra elétrica, baixo elétrico, bateria, sons eletrônicos, 300 automóveis tocando buzinas e coro popular, e encenada em 1º de junho de 1984 no Comício pelas Diretas Já, em Brasília, para um público de 30 mil pessoas. É justamente esta gravação, remasterizada, que está incluída no CD, junto com o relato sobre a obra e o evento, narrado pelo próprio compositor. Convém lembrar que Jorge Antunes, professor da Universidade de Brasília, é um dos compositores brasileiros mais importantes da atualidade, com ampla ressonância no Brasil e no exterior.