10 anos de governo petista: a Veja ganhou

Por Edemilson Paraná

Publico abaixo o excelente texto do amigo e companheiro de militância, o cientista social Eduardo D’Albergaria que, em análise criteriosa, demonstra no que se transformou a disputa interna dentro do Partido dos Trabalhadores após de 10 anos no poder. Elucidativo e didático, o texto demonstra porque domar um partido internamente é o primeiro passo para transformá-lo, de vez, em instrumento a serviço do “andar de cima”, nas palavras do autor.

Se, como disse certa vez o comunista italiano Antonio Gramsci, “escrever a história de um partido significa escrever a história geral de um país”, esse figura como um texto fundamental para entender o PT de hoje e de ontem e, com isso, a conjuntura que se impõe – como problema ou oportunidade – para toda a esquerda brasileira. Boa leitura.

Imagem

10 anos de governo petista: a Veja ganhou

Por Eduardo D’Albergaria

Uma semana antes da eleição de 2002, que colocou Lula na Presidência da República, a revista Veja dedicou uma edição especial à disputa interna do PT e aos rumos do futuro governo sob o título: “O que querem os Radicais do PT”.

Mais do que uma análise despreocupada das relações internas do partido, a Revista apresentava uma agenda de disputa que as grandes corporações fariam do futuro Governo, e vislumbrava, corretamente, que para isso teria que incidir na disputa interna do PT.

A mídia empresarial tinha muito poder para influenciar nessa disputa: em um partido anticapitalista amplo (o que o PT era nessa época), a disputa interna é feita não só nas instancias partidárias, mas, sobretudo, na sociedade. Uma matéria deste tipo, na maior revista semanal brasileira – na época com alguma credibilidade – e com outdoors distribuídos por todas as cidades do país – com essa capa da revista -, era uma tremenda demonstração de força.

Na primeira matéria da revista, com o título “Transição na Crise“, a Veja coloca o futuro presidente contra a parede: “cada passo da transição será vigiado pela implacável disciplina do Mercado”. E segue com uma explicação para a evasão de capitais que acontecia naquele momento no Brasil – também retratada em diversas outras matérias da mesma revista: “a instabilidade que se observa no Brasil foi provocada pela combinação de fatores de risco. Entre eles, figura o temor de um Governo Lula.” Continuar lendo