Dilma é muitos

Por João Telésforo Medeiros Filho

Amanhã é dia de eleger a primeira mulher Presidente do Brasil!

Porém, é mais do que isso.

Anteontem, emocionei-me de súbito ao lembrar que Dilma Rousseff, há algumas décadas, era uma adolescente corajosa e idealista resistindo à ditadura. Apesar de todas as limitações e contradições da aliança de correntes sociais, políticas, econômicas e culturais que ela representa, sua chegada à Presidência, caso se confirme, carregará o simbolismo daqueles valorosos lutadores.

Em 2008, em sabatina no Senado, Dilma prestou um grande serviço ao Brasil ao falar em nome da sua geração, respondendo a uma tão infeliz quanto reveladora pergunta do Senador José Agripino (que foi prefeito biônico de Natal durante a ditadura, indicado pelo seu primo governador do estado, que sucedera seu pai, também biônico):

O economista Maurício Dias David resumiu à época a importância daquele grande discurso de Dilma Rousseff:

“(…) Dilma falou por todos os torturados, por todos os violentados em seus direitos e em suas consciências no passado, por todos os que viveram os dias de 68. Ela fez acender a chama da dignidade no coração de milhares, milhões talvez. Quando disse:

– O que acontece ao longo dos anos 70 é a impossibilidade de se dizer a verdade em qualquer circunstância – afirmou ela, emocionada. O direito à livre expressão estava enterrado. Não se dialoga com o pau-de-arara, o choque elétrico e a morte. É isso que é importante hoje na democracia brasileira. Qualquer comparação entre ditadura e democracia só pode partir de quem não dá valor à democracia brasileira.

E completou :

– Me orgulho de ter mentido, mentir na tortura não é fácil. Diante da tortura, quem tem dignidade fala mentira. Agüentar tortura é dificílimo. Todos nos somos muito frágeis, somos humanos, temos dor, a sedução, a tentação de falar o que ocorreu. A dor é insuportável o senhor não imagina o quanto. Me orgulho de ter mentido porque salvei companheiros da mesma tortura e da morte – finalizou, sendo aplaudida por parte dos senadores presentes à sessão.

Quem falava ali no recinto do Senado não era a toda poderosa Dama de Ferro do governo Lula. Era Joana D’ Arc. Era Anita Garibaldi. Era o melhor de uma geração. Era a menininha de 19 anos, que voltava a ter os olhos radiantes, o coração vibrante e a emoção de pensar-se lutando por um futuro melhor.

Que esta seja a Dilma do futuro também. É o melhor que, agradecidos por este momento sublime, eu e nossa geração dos lutadores de 68 podemos lhe desejar nestes momentos…

Mauricio Dias David, economista do BNDES, foi preso político e exilado nas décadas de 60 e 70, e ainda tem acesa em seu coração a chama da esperança em um mundo melhor, mais humano e solidário“.

Votei em Plínio no 1º turno, e mantenho minhas críticas às alianças e recuos programáticos do PT. Agora, no entanto, cabe-nos votar 13 e impor uma derrota nas urnas ao conservadorismo da candidatura de José Serra, e depois derrotar nas ruas o lado conservador da coligação PT-PMDB-etc. É a nossa vez de agir com idealismo e coragem para que a chegada de Dilma à Presidência não seja apenas a compensação simbólica pelo sofrimento daquela geração, cujo esforço temos a obrigação de levar adiante.

Anúncios

12 respostas em “Dilma é muitos

  1. Pingback: Tweets that mention Dilma é muitos « Brasil e Desenvolvimento -- Topsy.com

  2. Agora é Dilma 13!

    Vamo galera! Não podemos deixar a direita assumir esse país,
    o PT renunciou a muitos de seus principios esquerdistas sim, mas ainda sim é uma opção infinitamente melhor que o PSDB/DEM

  3. De fato.

    Quem sabe um dia o PT se torne forte o suficiente para não precisar da ala majoritária do PMDB e se submeter às suas sandices fisiológicas. No primeiro mandato, meras leis ordinárias só saíam a fórceps.

    Quando houver uma bancada de esquerda com uma real e prevalente força política, reformas como a política e a agrária começarão, ao menos, a serem debatidas com seriedade. Até lá, o PMDB dá as cartas e dobra quem quiser com seu joguinho fisiológico.

  4. Parabéns pelo post e pelo vídeo do votopq. Ficaram realmente com qualidade e debatem política da verdadeira forma que deve ser feita, buscando o bem coletivo e a responsabilidade política de cada cidadão. Gostaria de deixar uma sugestão, vocês deveria fazer novamente o curso de formação. Abraços a todos

  5. Pingback: Político não pode ser dono de TV e rádio! « Brasil e Desenvolvimento

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s