Voto obrigatório?

Integrantes do grupo Brasil e Desenvolvimento participaram de um programa especial da MTV sobre as eleições de 2010. Em pauta, o “voto obrigatório”.

Abertos ao debate e à problematização, Gustavo Capela, João Telésforo e Edemilson Paraná discutiram por horas o tema em frente às câmaras da MTV. Sob as perguntas da repórter Mariana Haubert, que tinha em mãos intrigante pesquisa do Instituto DataFolha sobre o tema, os integrantes apresentaram antes dúvidas e questionamentos do que respostas prontas. A postura, construtiva na desconstrução, buscou problematizar o senso comum que, por vezes, orienta as duas posições. Um exercício típico do B&D.

O resultado, editado e apresentado em pouco mais de 2 minutos, está aí para ser conferido e abrir um produtivo debate sobre o tema.

Anúncios
Esse post foi publicado em Mobilização, Notícias e marcado , , , , por Edemilson Paraná. Guardar link permanente.

Sobre Edemilson Paraná

Edemilson Paraná é sociólogo e jornalista formado pela Universidade de Brasília (UnB), pós-graduado em Marketing e Comunicação Digital (IESB), mestre e doutorando em Sociologia pela UnB, com período sanduíche na SOAS – University of London. Trabalhou como assessor de imprensa na Câmara dos Deputados, no Serviço Federal de Processamento de Dados (Serpro) e Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP). Como repórter, cobriu política no Congresso Nacional para o portal UOL e Blog do Fernando Rodrigues (Folha de S.Paulo). Como freelancer, escreveu para a Mark Comunicação e para a revista Gestão Pública e Desenvolvimento. Atuou como pesquisador-bolsista no Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA) no projeto Sistema Monetário e Financeiro Internacional (2015-16). Além de trabalhos acadêmicos publicados nas áreas de Sociologia Econômica, Economia Política e Teoria Social, é autor do livro A finança Digitalizada: capitalismo financeiro e revolução informacional (Insular, 2016). Também publica intervenções sobre economia e política em sítios como Blog da Boitempo, Carta Capital, Congresso em Foco, Outras Palavras e Brasil em 5.

11 respostas em “Voto obrigatório?

  1. Galera, gostei muito do vídeo. Gostaria de saber se posso utilizá-lo em um projeto de didática em que estou atuando em uma escola, pois estamos tratando da importância do voto.

  2. Caro Caio,

    O conteúdo do post e o vídeo são para livre divulgação. Cultura livre, informação livre. O objetivo é estimular o debate. Fique à vontade. Espero que ajude na discussão com os alunos.
    abraço.

  3. Olá Gustavo,
    pelo que deu para ver no vídeo, rapidamente, você tocou em um ponto que é fundamental: o voto não é obrigatório, mas sim comparecer é obrigatório, registrar esse comparecimento. Se não há candidato que agrade, há sempre a opção de votar em Branco ou Nulo. Comparecer é um ato de cidadania, é uma obrigação do cidadão na construção de um processo da qual ele faz parte, todo o tempo. Mesmo para àqueles que se autodefinem como apolíticos. A política permeia todos os atos e todas as escolhas que são feitas em coletividade. Não votar não exime a pessoa de ser responsável diretamente ou indiretamente pelos processos históricos na qual ele está inserido. Ou seja, ele sofrerá os benefícios e malefícios das consequências dos atos e das escolhas – suas e dos outros. Um abraço.

  4. Com o contexto frances, on de o voto nao esta obligatorio.
    Eu nao voto, mas eu participo da vida publica e politica (ja sabem até quando esta proibido!!!). Eu tou implicado nos debates e nas lutas.
    Eu nao voto por duas razoes: 1) Nao tem nenhum candidato que convem com minhas ideais. Eu nao aceito votar pra um programa com quem nao estou totalemente de acordo. Se tiver um ponto com qual disconcordo, eu rechazo dar meu voto.
    2) Tambem nao concordo com o sistema de representatividade indireita. Eu nao aceito que o presidente pode declarar sozinho uma guerra nuclear (sim é possivel aqui) nao aceito tambem que um deputado o um senado vota leies que nao entraram no seu programa o dia da eleiçao.
    Até a representaçao do povo for direita com mandatos imperativos, eu nao votar.

    Parabens pela campanha camaradas!!!

  5. Acredito que se deixar facultativo o comparecimento nas eleições abre espaço para o retorno do voto de cabresto!
    Veja, começarão, Brasil a fora, verdadeiras corridas em busca de eleitores. Mas não da forma sadia de conquistar pelos ideais políticos e propostas de ação. E sim pelo simples fato de “Juntar os eleitores no busão e mandar pra eleição”. Estilo cabresto.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s