Todos os animais em questão

Por Saionara Reis

Charles Darwin já dizia que “não há diferença entre o homem e os outros animais nas suas faculdades mentais. Os animais, como os homens, demonstram sentir prazer, dor, felicidade e sofrimento”. Mesmo numa frase praticamente boa, o biólogo, assim como muitos(as) de nós, costumamos nos diferenciar dos outros animais, colocando a condição de Ser Humano em outro reino: O Reino Humano!

O que diferencia nós humanos dos outros animais é o fato de sermos racionais. Racionalizamos tanto, que durante toda nossa jornada humana insistimos em nos assegurar que somos superior, não só comparativamente com os irracionais, mas com relação a tudo e a todos (as). Precisamos ter os melhores carros, os melhores empregos, a melhor aparência, a melhores frases e, acima de tudo, precisamos dominar o mundo, a natureza, todos os seres vivos e inanimados, o planeta Terra e todos os outros.

Com esse pensamento animalesco “consciente e racional”, tratamo-nos uns aos outros de forma brutal e inconseqüente. A construção desses valores deturpados, do modelo de relação que o humano mantém com os outros, vem sendo socialmente aceita na esmagadora maioria dos campos culturais e sociais. Com um pouco esforço, ainda conseguimos nos sensibilizar com a opressão do homem contra outro homem. A opressão contra os outros animais, no entanto, é naturalizada.

Passamos de geração em geração o hábito de comer carne de outros animais como parte regular da nossa alimentação, sob o mito da cadeia alimentar e da completude desse alimento. Hoje em dia, como amplamente divulgado, está cientificamente comprovado que a ingestão de carne está intimamente ligada ao aumento da taxa de colesterol, ao desenvolvimento de diabetes, artrite e osteoporose, entre tantas outras mazelas.

Um dos fatores determinantes para a associação de diversas doenças ao consumo de carne é o tratamento pelo qual passa o animal destinado ao consumo. O confinamento com milhares de outros animais em espaços pequenos, a alimentação com excesso de hormônio, o estilo de vida sedentário e a maneira usual de abatimento, ou seja, toda a rotina do animal, desde o seu nascimento à sua morte, contribui para que o seu nível de estresse seja aumentado de forma considerável. Ao comê-los, estamos ingerindo todo esse processo de forma indireta, o que acaba sendo revertido, no nosso organismo, em forma das mais diversas doenças conhecidas e ainda por conhecer.

De fato, o grande gravame do consumo de carne é o modo de produção adotado para suprir a enorme demanda mundial por esse alimento. A produção em massa de carne desconsidera valores éticos e necessidades dos animais, não respeita limite algum, ao contrário, trata de transformar os animais de consumo em meros objetos, produtos e mercadorias, inanimados e inconscientes. Esse modelo é cruel com os todos os envolvidos, homens e outros animais.

Muitos são os motivos para parar de comer carne. No Brasil, existem milhões de hectares de terras produtivas destinadas à produção de soja, que alimenta basicamente vacas de corte, onde poderia ser plantada uma quantidade enorme de outros alimentos. Além disso, dispomos, hoje, de uma variedade enorme de alimentos substitutos da carne em termos nutritivos, ou seja, consumir carne é opcional. Alimentar-se de carne faz mal à própria saúde, à integridade dos animais que servem de alimento e à natureza.

Seja Vegetarian@ pelos animais, pela sua saúde, pelo meio ambiente, pelo planeta e pela humanidade.

Opte!

😉

Anúncios

3 respostas em “Todos os animais em questão

  1. Desculpa, nunca gostei de carne de cachorro. Aliás, prefiro as vacas aos gatos, em termos de simpatia. Mas eu como vacas e não como gatos.

    Assim como não hei de sacrificar o paladar no altar da aparência, também não posso sacrificá-lo no altar da bobagem.

    Por falar em paladar, há um ótimo restaurante veg na 202 norte. Fica a sugestão!

  2. Apesar de os animais expressarem a dor que sentem são seres tão vivos quanto os hortifrutis e os vegetais em geral, que ao contrário, não o expressam.

    Se deixarmos de comer animais deveríamos deixar de comer também os vegetais, o que significaria morrer de fome!!!

    Sou incontestávelmente contra qualquer tipo de maus tratos aos animais, inclusive aos humanos…mas não precisamos deixar de comê-los, se for somente pela necessidade…Eles também nos comerão se a fome apertar e formos os únicos alimentos a vista!

    Somos animais onívoros…É da nossa natureza comer vegetais, e carne também que a próposito não fará mal se consumida equilibradamente.

    • Sempre uma desculpa para comermos os nossos animais.Sra,Amanda.
      Geralmente as pessoas usam como desculpa para continuar comendo carne, o fato de que humanos sempre comeram carne. De acordo com essa lógica, não deveríamos tentar previnir pessoas de assassinarem outras, já que esse comportamento também acontece desde as eras mais longínquas.”-Isaac Bashevis Singer 1904

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s